Boletim aponta déficit de chuva que afeta abastecimento nas cidades catarinenses

A estiagem no Estado já deixa 167 municípios com problemas no abastecimento urbano. Os dados foram apresentados no terceiro Boletim Hidrometeorológico Integrado elaborado pela Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável em conjunto com a Defesa Civil de Santa Catarina. As informações foram apresentadas durante coletiva motivada pela Companhia Catarinense de Águas e Saneamento (Casan) e do Centro de Monitoramento Epagri/Ciram nesta quarta-feira (29), na Capital.

“Com o objetivo de monitorar a situação hídrica e antecipar ações para evitar os impactos meteorológicos no Estado, a SDE juntamente com a Defesa Civil divulgam quinzenalmente o Boletim que nos dá um panorama completo e minucioso da escassez hídrica em Santa Catarina” enfatiza o secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável, Lucas Esmeraldino.

>>Acesse aqui o Boletim Hidrometeorológico Integrado <<

De acordo com dados da Defesa Civil, 45 municípios já decretaram Situação de Emergência devido o impacto da estiagem. 

Comitê Gestor da Seca


Diante da situação crítica em que se encontram algumas cidades, a Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável também integra um Grupo de Trabalho de Escassez Hídrica, com os demais órgãos envolvidos: Secretaria da Agricultura, Epagri, Defesa Civil de Santa Catarina, CASAN, Polícia Militar Ambiental, Instituto do Meio Ambiente, Agência de Regulação de Serviços Públicos de Santa Catarina (Aresc) e Agência Reguladora Intermunicipal de Saneamento (Aris), Federação Catarinense de Municípios (FECAM) e Fórum Catarinense dos Comitês de Bacia para que, com base nos dados de monitoramento, possam promover ações emergências.

Entre as medidas para garantir o abastecimento público, a Secretaria deve autorizar que prefeituras possam captar água em regras e critérios, em regime de urgência. Também deverá restringir as atividades que configuram desperdício de água para auxiliar o enfrentamento da estiagem. Outra medida foi a Resolução que flexibiliza as solicitações de autorização prévia para perfuração de poços, destinadas para consumo humano, abastecimento público e criação animal. A medida é válida durante o período de estiagem.

Para o secretário Executivo do Meio Ambiente (SEMA), ligada à SDE, Leonardo Ferreira, “é preciso conscientizar a população sobre o uso da água. Mais do que nunca, é preciso mudar a forma com que usamos e cuidamos dos nossos recursos hídricos, tão essenciais para a vida”.

Abaixo da média

Conforme a análise da precipitação observada no Boletim durante o período de 01 e 26 de abril, os acumulados de chuva estão abaixo da média em todo o estado. A previsão para os próximos 15 dias mostra uma condição de chuva mal distribuída no Estado e insuficiente para normalizar o abastecimento. De acordo com a meteorologista, Maria Laura Rodrigues, da Epagri/Ciram, o Estado apresenta um déficit de chuva desde do ano passado que chega a 600 milímetros. “Março e abril foram os períodos mais críticos, com exceção de Joinville e Garuva, o restante das cidades tiveram índices abaixo da média nos últimos 10 meses”, relata.

Com a falta de chuva, a situação dos rios no estado se agravou. Informações de abastecimento levantadas pelas Agências Reguladoras (ARIS e ARESC) demostram que dentre os 295 municípios do estado, 60 estão em estado de normalidade (rio e abastecimento normal), 120 em estado de atenção (rio e/ou abastecimento prejudicado), 27 em estado de alerta (captação reduzida com realização de manobras pela concessionária), e 20 em estado crítico (rio em condição crítica com realização de rodízio, intervenções e ajuda pela concessionária para a captação). É importante ressaltar que das 295 cidades, 227 responderam aos questionamentos das Agências.

Municípios críticos
Em relação ao boletim anterior, houve um aumento de 53% na quantidade de municípios em estado de atenção. Desta forma, a Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável recomenda a adoção de medidas de prevenção e mitigação, bem como o uso racional e consciente da água durante este período.

O Boletim Hidrometeorológico Integrado em sua terceira edição, que conta com o apoio das Agências Reguladoras (ARIS e ARESC) tem o propósito de apresentar as condições hidrológicas do estado de Santa Catarina e avaliar seus impactos no abastecimento urbano dos municípios catarinense.

 Foto: José Dias/ Divulgação Casan  e Clóvis Perozin/SDE